ORIGEM – Raça de origem Inglesa, também conhecida pelo nome de Kent, condado onde foi criada desde a antiguidade sem infusão de sangue estranho. Os antecessores desta raça já eram criados na época das Cruzadas, vivendo sempre isolados das demais raças inglesas, tendo havido apenas uma tentativa de melhora-lo com a introdução de sangue Leicester, cujo resultado não agradou, sendo o procedimento logo abandonado. Há dois séculos passados os ovinos desta raça eram animais grandes, de inferior qualidade, tinham a cabeça grande, pescoço fino e comprido, membros longos e finos, velo excasso e lã muito grosseira. O melhoramento da raça foi um processo demorado, onde foi empregado sistematicamente o método de seleção visando a obtenção de um ovino para carne, descuidando da produção de lã. Levado para a Nova Zelândia o Romney foi orientado para o duplo propósito, melhorando a sua aptidão laneira, resultando na formação de uma raça produtora de carne 60% e lã grossa e longa 40%, Na formação do Romney Marsh, além do método de seleção foi também usada consanguinidade. Em 1897 foi criado o primeiro registro genealógico da raça “Kent or Romney Marsh Sheep Breder Association”, entretanto documentos antiguíssimos mantidos na Biblioteca da Catedral de Canterbury fazem referência a rebanhos existentes no ano de 1275 no “Priorato de Christchurch”.

ASPECTO GERAL – O Romney Marsh deve ter o aspecto geral de um animal compacto, vigoroso e bem implantado, denotando vivacidade e nobreza racial. Sendo uma raça desenvolvida e aperfeiçoada mais para a produção de carne, deve ser grande, com a boa carcaça, possuindo membros fortes e vigorosos. É uma raça de duplo propósito, apresentando um equilíbrio zootécnico orientado 60% para a produção de carne e 40% para a produção de lã grossa. A conformação carniceira e a constituição robusta são portanto os principais atríbutos que o ovino Romney Marsh deve ostentar. Deve ainda apresentar desenvoltura no caminhar.

CABEÇA – A cabeça deve expressar a nobreza da raça, qualidade do animal e também, o seu sexo. O carneiro denotará marcante expressão de masculinidade e a ovelha delicada aparência feminina A cabeça é proporcional ao corpo. Sem ser muito grande é larga e forte. Frente plana, larga entre os olhos e as orelhas. Coberta de lã até a linha mediana dos olhos, formando um topete, sem prejudicar, em qualquer fase, a visão. A parte inferior da face é coberta de lã, sem atingir a cara, que deve ser coberta de pêlos brancos e suaves. A cara é larga e curta, com perfil ligeiramente convexo. As narinas são largas e os olhos grandes e proeminentes. As mucosas nasais, pele entre as narinas, conjuntivas e os lábios são pigmentados de negro. Orelhas bem separadas e bem implantadas, grandes, com o pavilhão auricular virado para a frente, carnudas e com pontas arredondas; cobertas de pêlos brancos ou de lã curta (lanugem), é comum a ocorrência de pequenas manchas pretas.

PESCOÇO – Curto grosso e fortemente ligado a cabeça. Suavemente inserido no tronco e mantendo a cabeça levemente levantada. Um pescoço franco, fino ou excessivamente comprido, é indicativo de constituição débil e se constitui em defeito eliminatório.

CORPO - Comprido, carnudo, largo e profundo. Costelas bem arqueadas, formando um tórax amplo. Paletas largas, carnudas, bem separadas entre sí e preferentemente paralelas, formando um plano com as costelas, terminando superiormente por uma cernelha larga e nivelada com o dorso. O peito largo, profundo e um pouco saliente. Dorso e lombo compridos, largos e bem cobertos de músculo, formando um plano horizontal, com boa distância entre as paletas e ancas. A anca comprida e larga, com boa cobertura de carne. Quando muito inclinada constitui-se em grave defeito. Os quartos são arredondados, largos e profundos. Pernas bem separadas e musculosas. Entrepernas cheio e profundo. Visto de trás dá a impressão de um “U” largo e invertido. A cola é implantada quase em linha reta com a coluna.

MEMBROS – Membros de comprimento mediano, proporcionando um bom suporte ao corpo e facilidade de locomoção. Com ossos fortes, bem aprumados e com articulações bem definidas. Garrões fortes e bem separados. As patas dianteiras devem guardar o mesmo afastamento das trazeiras. Quartelas de comprimento médio e inclinação normal. Cascos fortes, grandes e pigmentados de preto.

VELO – De aspecto volumoso em consequência do grande comprimento e relativa densidade das mechas. Cobre bem todo o corpo, entretanto o garreio não é muito abundante. As mechas terminam em ponta. O peso oscila de 9 a 12 Kg para os pais de plantel e de 5 a 6 Kg para os carneiros de rebanho, nas ovelhas de plantel atingem 5 Kg, enquanto que as de rebanho geral oscilam entre 3 a 4 Kg e até mais.

- Nos machos o diâmetro médio das fibras varia de 31 a 38 micrômetros (de 48´s a 44´s na escala de Bradford) e nas fêmeas varia de 29 a 31 micrômetros, o que de acordo com a Norma Brasileira de Classificação de Lã Suja, da para os machos as finuras de Cruza 3 a Cruza 6 e para as fêmeas as finuras de Cruza 2 e Cruza 3. O comprimento das mechas atinge de 14 a 18 cm. As ondulações são bem acentuadas e largas, chegando a atingir até 1,5 cm a 2,0 cm. Cor amarelo ouro, creme, e atualmente preferencialmente branca. Tem boa suavidade e brilho acentuado. Boa uniformidade de finura.

APTIDÕES – Produtor de carne e lã, com maior ênfase econômica para a carne. Extremamente rústico, suportando bem as condições de campos úmidos. Em criação extensiva os capões chegam a atingir 80 a 90 Kg. Cordeiros bastante precoces, de rebanho bem definidos, chegam a produzir de 28 a 30 Kg aos 5 meses, a campo.

DEFEITOS -

- Constituição débil é um defeito grave.
- Desvio da coluna vertebral, principalmente lordose, podem ocorrer com certa frequência, mas são considerados motivo para eliminação.
- Quartelas muito compridas ou muito inclinadas
- Garrões muito juntos
- Mal formações bucais
- Presença de chifres ou de rudimentos de chifres fixos
- Má cobertura de lã na linha de lombo.
- Afinamento demasiado.
- Lã de quarto excessivamente grossa.
- Velo com finura abaixo da Cruza 2 Manchas de lã preta ou marrons em qualquer parte do velo Lã de cor canela ou marrom ou pelos no garreio
- Mucosas ou cascos brancos. São toleráveis pequenas manchas pretas ou marrons nas orelhas, desde que não sejam muito numerosas.